Incêndio no Hospital Badim: o que se sabe sobre a tragédia

0
18

Suspeita é que curto-circuito em um gerador provocou o fogo. Pelo menos 10 pacientes foram mortos.

Fumaça de incêndio do Hospital Badim, no Maracanã, é registrada por moradores da região. — Foto: Reprodução/Redes sociais
Fumaça de incêndio do Hospital Badim, no Maracanã, é registrada por moradores da região. — Foto: Reprodução/Redes sociais

Um incêndio de grandes proporções matou, nesta quinta-feira (12), pelo menos 10 idosos que estavam internados no Hospital Badim, no Maracanã, na Zona Norte do Rio.

O Hospital Badim pertence a José Badim e integra a Rede D’Or São Luiz – mas o conglomerado não participa da gestão da unidade de saúde.

O prédio que pegou fogo foi construído há 19 anos na Rua São Francisco Xavier. Outro edifício, anexo a ele, foi inaugurado em 2018.

A seguir, as principais dúvidas sobre a tragédia.

Entenda a origem do incêndio no Hospital Badim, no Rio de Janeiro
Entenda a origem do incêndio no Hospital Badim, no Rio de Janeiro

Qual a causa do incêndio?

A suspeita inicial é de curto-circuito em um gerador no subsolo do prédio antigo. O calor e a fumaça decorrentes da explosão alastraram as chamas para outros andares – o 3º e o 5º foram os mais atingidos -, afetando principalmente um dos CTIs do complexo hospitalar.

O prefeito Marcelo Crivella pediu que seja investigado se houve sabotagem. Pouco depois, o delegado Roberto Ramos, da 18ª DP (Praça da Bandeira), que apura as causas do incêndio, disse considerar “completamente prematura” a tese de Crivella.

Quem são as vítimas?

  1. Alayde Henrique Barbieri, 96 anos
  2. Ana Almeida do Nascimento, 90 anos
  3. Berta Gonçalves Berreiros Sousa, 93 anos
  4. Darcy da Rocha Dias, 88 anos
  5. Irene Freitas, 84 anos
  6. José da Costa de Andrade, 79 anos
  7. Luzia dos Santos Melo, 88 anos
  8. Maria Alice Teixeira da Costa, 76 anos
  9. Marlene Menezes Fraga, 85 anos
  10. Virgilio Claudino da Silva, 66 anos.

Como elas morreram?

Laudo preliminar do IML atesta que as 10 mortes foram por asfixia. Eram pacientes que dependiam de aparelhos para respirar – desligados quando o gerador explodiu.

Colchões foram jogados da janela de quartos durante incêndio no Hospital Badim — Foto: Cristina Boeckel / G1
Colchões foram jogados da janela de quartos durante incêndio no Hospital Badim — Foto: Cristina Boeckel

O hospital pode desmoronar?

A Defesa Civil Municipal determinou, no início da tarde desta sexta (13), a interdição do prédio incendiado, mas descartou risco de desabamento. Agentes optaram por isolar o imóvel pelo grande volume de água no subsolo e pela fiação exposta.

O incêndio afetou prédios vizinhos?

Não há danos estruturais nos edifícios e casas de vila adjacentes. Além do prédio do hospital, foram interditadas outras quatro construções ao redor. Duas casas da vila aos fundos do hospital foram totalmente interditadas e houve ainda e duas interdições parciais (em casa da mesma vila e na garagem do número 392 da Rua São Francisco Xavier por ameaça de queda de reboco e de revestimento de teto, respectivamente). Totalizam-se, assim, cinco interdições.

Lençóis amarrados na janela do Hospital Badim, que pegou fogo no fim da tarde desta quinta-feira (12) no Rio — Foto: Reprodução / TV Globo
Lençóis amarrados na janela do Hospital Badim, que pegou fogo no fim da tarde desta quinta-feira (12) no Rio — Foto: Reprodução / TV Globo

Há risco de explosões ou vazamentos?

O fogo foi debelado ainda na noite de quinta-feira e não atingiu aparelhos de raio X ou de ressonância magnética – uma preocupação dos bombeiros.

O hospital estava regular?

Sim. Não havia pendências que impedissem o Badim de funcionar.

HABITE-SE: Por meio de nota, a Prefeitura do Rio informou que o hospital possui, desde maio de 2003, o Habite-se – autorização dada pelo município para que determinado imóvel seja ocupado.

ACRÉSCIMO: Em 20 de agosto de 2018, o município emitiu uma licença de modificação, com acréscimo sobre área descoberta de pavimento de estacionamento elevado, vigente até 20 de fevereiro de 2020. Portanto, segundo a Secretaria Municipal de Urbanismo, toda a documentação está em dia.

CERTIFICADO DE APROVAÇÃO: A assessoria de comunicação do Corpo de Bombeiros informou que as licenças de funcionamento do hospital também estão atualizadas.

SANITIZAÇÃO: Técnicos da Vigilância Sanitária inspecionaram o Hospital Badim em julho e pediram ajustes nas áreas de Radiologia, Ultrassonografia, Tomografia, Centro Cirúrgico, Internação Clínica, Área de Apoio, Copas e Unidade de Alimentação e Nutrição. “Mas nada que impedisse o funcionamento do estabelecimento”, esclareceu o órgão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui