Segundo a decisão judicial, “Em liberdade, os acusados poderão atemorizar as testemunhas e as vítimas sobreviventes, impedindo a adequada coleta de provas”.

Prédios desabaram na Muzema em abril desse ano deixando 24 pessoas mortas.  — Foto: Reprodução / TV Globo
Prédios desabaram na Muzema em abril desse ano deixando 24 pessoas mortas. — Foto: Reprodução / TV Globo

A Justiça do Rio decretou a prisão preventiva de três suspeitos apontados pela polícia como responsáveis pela construção e venda de prédios na Muzema – Renato Siqueira Ribeiro, José Bezerra de Lima e Rafael Gomes da Costa respondem pela acusação de homicídio qualificado, desabamento e lesão corporal.

Eles já estavam detidos em prisão temporária, o que poderia limitar o tempo dos três na prisão.

Na manhã desta terça-feira (16), uma operação da Polícia Civil e do Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) prendeu suspeitos de investir na construção de imóveis irregulares da milícia que age na comunidade da Muzema e em outras localidades da Zona Oeste do Rio.

Moradores da Muzema disseram a policiais da 16ª DP (Barra da Tijuca) que Bezerra e Gomes eram responsáveis pelos prédios que desabaram no local no dia 12 de abril, enquanto Siqueira cuidava da venda dos apartamentos. A tragédia matou 24 pessoas.

Segundo a decisão judicial, testemunhas afirmaram terem sido coagidas a alterarem seus depoimentos – daí a necessidade de manter os suspeitos detidos.

“Em liberdade, os acusados poderão atemorizar as testemunhas e as vítimas sobreviventes, impedindo a adequada coleta de provas, o que resta evidenciado ao se analisar os autos e aferir que ao menos duas testemunhas ouvidas em sede policial foram coagidas por pessoas ligadas a um dos réus a alterarem seus depoimentos”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui