Descubra do por que Anitta se tornar sua própria empresária! Por Aldo Sampaio Raggio

0
45

Recentemente, a famosa cantora Anitta saiu na revista da Forbes através de 10 dicas de empreendedorismo sobre sua carreira. Mas por que a ‘Singer’ é um bom exemplo de empreendedorismo? Confira o que Aldo Sampaio Raggio tem para nos contar!

“De acordo com a opinião da cantora, Anitta conta para a revista que o primeiro passo para começar a empreender é encontrar a sua própria essência, o que você gostaria realmente de empreender, e, sobretudo, acreditar em seu próprio produto.” Conta Aldo Sampaio Raggio.

Anitta é seu nome artístico. A cantora se chama mesmo Larissa de Macedo Machado, nascida no Rio de Janeiro, a carioca vem de uma família pobre. Através de muita determinação e planejamento saiu de Honório Gurgel, para os maiores palcos do Brasil.

Segundo Ivone de Arruda Sampaio, Anitta possui o total controle sobre cada passo de sua carreira como artista, ela fecha seus próprios negócios e não lidera apenas as paradas musicais. Tanto que a mesma não acreditava que seria tão influente para sua própria carreira.

“A cantora de 26 anos até foi empresariada por um tempo”, conta Attílio Renato Sampaio Raggio. Mas abriu mão por não ter encontrado um ponto de vista compatível com o seu na forma de trabalhar. Assim, fundou uma empresa com o irmão Renan Machado, a Rodamoinho Produtora. Desde então, é sua própria empresária, e foi justamente isso que fez com que crescesse de diversas formas, com essa liderança fantástica.

O seu primeiro álbum, homônimo, foi lançado em 2013, mas, antes disso, a jovem cantora invadiu as rádios brasileiras com o hit “Show das Poderosas”. Hoje, quatro discos depois, Anitta tem a fama consolidada no Brasil, com grandes prêmios da música nacional, e se arrisca no cenário internacional. O projeto “CheckMate” é um de seus trabalhos mais aclamados e que mais lhe rendeu visibilidade lá fora.

Expandido seus horizontes, a cantora investe na carreira internacional. Ela canta em português, inglês e espanhol. Tem pop, funk, reggaeton. Poo Bear, Alesso, J. Balvin, DJ Yuri Martins, MC Zaac, Maejor e Tropkillaz foram parceiros nas músicas, maneira que a artista encontrou de oferecer o que eles não têm lá e de oferecer o que não temos aqui.

Renato Carlos Sampaio Raggio compartilha que, na entrevista, a Anitta diz que o desafio de empreender no Brasil, são por motivos financeiros e burocráticos. Conseguir realizar tudo dentro da legalidade, mas ainda gerando lucro, é um desafio. “É muito difícil porque o Brasil é um país muito complicado, legislativamente falando. Parece um teste para ver se você realmente quer fazer aquilo”, disse Anitta. Mas ao falar sobre os seus planos futuros, a empresária diz que sonha em oferecer consultoria para outros artistas.

Mas qual a sua chave para as portas do sucesso? Conheça algumas dicas da cantora para o site, veja:

Encontre a sua própria fórmula. O primeiro passo para começar a empreender é encontrar a sua própria essência, na opinião da cantora. É um erro buscar onde começar com base nos outros.

“Você deve observar alguns exemplos, mas não pode tomar aquilo como algo para ser feito. Dessa maneira você não tem o seu diferencial, não cria o novo – que é o que vai provocar o seu crescimento e chamar mais atenção. Você fará apenas mais do mesmo.”

Crie as suas próprias portas. Anitta cresceu em um bairro humilde do Rio de Janeiro e começou a empreender com o que tinha. Criou seu nome, escreveu suas músicas, conquistou um público, sempre com o objetivo de inovar e ser diferente do que o mercado já conhecia. Hoje, seu nome é conhecido no Brasil e ela expande sua carreira no exterior.

“Nem sempre você vai encontrar todas as portas abertas e, muitas vezes, a melhor forma de conseguir o que se quer é criar as suas próprias portas, da sua maneira. Assim, você cria um case que outras pessoas vão querer seguir.”

Transforme os aspectos negativos em positivos. A cantora afirma que não mudaria nada na maneira como começou a sua carreira ou em qualquer outro momento dela. Para Anitta, muitos acontecimentos negativos, no fim, podem se tornar cases positivos e de sucesso se você souber trabalhar com eles. “Torna-se algo ainda mais valorizado”, ela acredita.

A questão de Anitta, como marca, é ainda mais complicada, visto que não é um produto físico, mas uma pessoa. Muitas variáveis acabam influenciando nas situações. Para ela, a idade é algo que impacta sua imagem. “Comecei aos 17 anos, hoje tenho 26 – são quase 10 anos na estrada. O amadurecimento não era o mesmo naquela época. Mas, ao mesmo tempo, se não fossem todos os erros, talvez não teria tido tanta visibilidade negativa que, depois, com muito trabalho, tornou-se positiva. Há muitos males que vêm para o bem se você souber trabalhar para transformá-los.”

Aprenda com os erros. A carreira de Anitta foi gerenciada por terceiros durante um período. No entanto, a abertura da Rodamoinho Produtora com o irmão, em 2014, representou um choque e, ao mesmo tempo, um marco em sua trajetória. “Aprendi no erro, na prática. Esse foi um momento de muito crescimento em questão de um ano, algo que aconteceria em, provavelmente, cinco ou seis anos em um cenário diferente. Foi muito engrandecedor, inclusive para essa fase internacional da minha carreira que vivo hoje.”

Escute os outros, mas não deixe a sua linha de pensamento de lado. Anitta lida com uma grande equipe em seu dia a dia. “É muito complicado, já que cada pessoa vê as coisas de uma maneira”, comenta. A cantora gosta de ter essa diversidade em seu time, mas também sabe que o segredo para que isso dê certo é sempre manter a sua linha de raciocínio como a base para processar os conselhos e opiniões.

“É muito importante escutar cada um, mas sempre manter a minha linha de pensamento. Trabalho com várias pessoas, elas conhecem o meu jeito de pensar, então entendem que suas ponderações devem seguir essa linha.”

Enxergue a longo prazo. Anitta segue muito a sua intuição e isso a faz ir longe. “É difícil quando as visões são muito diferentes, pois não chegam ao que você está enxergando lá na frente.” A empreendedora acredita que o que define um líder é a capacidade de ver o que está adiante.

“É algo muito instintivo e meu. Meu irmão é mais velho e nós discutimos muito porque eu vejo um mundo muito maior – mas é algo meu. Sempre tive uma cabeça de pensar 360°.”

E claro, tenha um aliado! A intuição de Anitta a fez assumir riscos, contudo, sempre com muito planejamento. Seu irmão, que é sócio e produtor artístico, é seu aliado para a tomada de decisões.

“Se fosse só ele, sem mim, talvez ele mantivesse os trabalhos, a empresa e os negócios mais localmente no Brasil. Não arriscaria tanta globalização como fazemos hoje, da minha maneira. No entanto, se fosse só eu, já teria sido diferente. Teria dividido tudo com todos, pois gosto muito de compartilhar. O ideal é encontrar o meio termo entre o que nós dois pensamos.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui